Home
Videos
Edições impressas
Jornais anteriores
Contato
Sobre nós
Brasília: Território Livre do Analfabetismo
01 de julho de 2011 Artigos Cultura Edições Anteriores
Recomende essa matéria pelo WhatsApp

O governador Agnelo Queiroz assumiu o corajoso compromisso de erradicar o analfabetismo
na Capital da República e no DF até 2014. Este compromisso deve ser apoiado por todos
os brasileiros – não apenas pelos moradores do DF – por todas as forças progressistas,
movimentos sociais, intelectuais, movimento estudantil, pois trata-se, simbolicamente, de uma
atitude que revela claramente o potencial de que o Brasil, com todos os seus recursos, tem
seguramente todas as condições para ver-se livre desta mazela social.
Agnelo está também enviando, com este compromisso, uma mensagem de otimismo, de
convocação à luta, de chamado para as transformações sociais, indicando claramente que o Brasil
Sem Miséria tem que ser também um Brasil livre da miséria do analfabetismo, da ignorância, da
incultura. É como se dissesse: um país com as imensas riquezas que possui, do petróleo ao nióbio,
sendo uma das maiores economias do planeta, não tem o direito de conviver com uma herança tão
opressiva e desumana que afeta, sobretudo, as camadas mais pobres dos brasileiros, no DF e em
todo o território nacional!

A guerra contra o analfabetismo na América Latina sempre esteve vinculada à luta
revolucionária, aos programas de governos populares, a governantes antiimperialistas e de
esquerda. Agnello está indicando que estão presentes as condições para que o Brasil dê um salto
político. Deste modo, está chamando a superar a simples prática e uma administração rotineira,
convencional e sem audácia, trazendo para os partidos progressistas o desafio de se colocar à
altura das reais possibilidades de transformações sociais que o Brasil possui agora depois de dois
governos Lula e após a eleição da presidenta Dilma, derrotando as forças conservadoras, que
jamais se levantaram contra o analfabetismo, como também jamais se propuseram a transformar a
sociedade.
Vale lembrar que o próprio Plano Estratégico para o Brasil, lançado durante o governo Lula,
previa apenas para 2022 a superação do analfabetismo, o que é uma prova de timidez e de falta de
prioridade política imensas, se observarmos que vários países muito mais pobres que o Brasil estão
conseguindo derrotar o analfabetismo na América Latina. O problema está claramente localizado
na esfera das decisões políticas. Exemplo: como é lamentável a substituição do Embaixador
Samuel Pinheiro Guimarães pelo ex-governador Moreira Franco para comandar a Secretária de
Assuntos Estratégicos! Colocar como ministro desta pasta um homem que destruiu os CIEPs no
Rio de Janeiro; quando pela primeira e única vez um governo estadual dedicou 50 por cento de seu
orçamento para a educação. Acabar com o CIEPs é lançar dúvidas sobre um verdadeiro e sincero
combate ao analfabetismo.
A atitude de Agnelo Queiroz, na prática, é um chamado às forças progressistas a se mexerem
mais além da luta institucional ou parlamentar. Em todos os países que derrotaram o analfabetismo
na América Latina a mobilização popular é uma condição indispensável. Assim foi em Cuba,
onde o analfabetismo foi extinto há 50 anos!! Assim foi na Nicarágua Sandinista, quando a
Cruzada Nacional da Alfabetização, que contou com a participação ativa de professores cubanos,
levou a suspensão das aulas nas universidades por seis meses, período em que os estudantes
universitários subiram às montanhas e foram para o campo para alfabetizar os camponeses,
numa generosa demonstração de maturidade revolucionária e de entrega, que só os processos
revolucionários alcançam, porque elevam as relações humanas, vencem o individualismo,
promovem a consciência de que o progresso cultural de um povo é tarefa de todos, tarefa coletiva!

A Venezuela Bolivariana também já é Território Livre do Analfabetismo, com reconhecimento
da UNESCO, devendo sua conquista também à generosa ajuda de Cuba com o seu método de
alfabetização “Yo si puedo”, que permite aprender a ler e escrever em um prazo de 45 dias em
média. Aliás, conforme revelou Frei Betto em Conferência sobre Cuba, hoje, transmitida pela TV
Cidade Livre de Brasília, foi com o método cubano que o Deputado Tiririca aprendeu a ler e escrever
rapidamente para fazer frente às exigências elitistas e arrogantes da Justiça Eleitoral que não queria
dar-lhe o diploma parlamentar a que faz jus em razão de milhares de votos recebidos, em sua
maior parte das camadas mais oprimidas do Estado de São Paulo, sobretudo dos trabalhadores
nordestinos da construção civil, a quem ele apresentou uma série de propostas corretas e
necessárias, escondidas maliciosamente pela mídia. Uma vez mais, foi Cuba, com sua contribuição

humanista em escala internacional, que demonstrou, neste episódio do Tiririca, que quando há
vontade política, os instrumentos estão disponíveis e podem ser utilizados pelos mais inesperados
setores sociais com vistas a elevar sua condição de cidadania. A conclusão é clara: o programa
Brasil Sem Miséria, justo e necessário, não deve limitar-se à alimentação e formação profissional
dos mais miseráveis. Aos animais é que se oferece apenas alimento, aos seres humanos é preciso
oferecer também cultura, educação, livros, produtos culturais, etc…

Se a Bolívia de Evo Morales também já é, segundo a UNESCO, Território Livre de
Analfabetismo, as condições para que o Distrito Federal (muito melhor equipado e estruturado),
mas também o Brasil, alcance tal conquista, estão totalmente presentes. É paradoxal que o
Brasil seja um dos maiores consumidores de automóveis e de telefones celulares do mundo, que
São Paulo tenha a segunda maior frota de helicópteros do mundo, e ainda existam milhões e
milhões de analfabetos! A solução deste dilema está no plano da política. Agnelo está fazendo
uma convocatória decisiva, urgente, inadiável! Não há nenhuma razão para que a erradicação do
analfabetismo não tenha sequer metas concretas, apesar de oito anos de governo Lula, de vários
governos estaduais progressistas que tivemos neste período, mas, ainda assim, sem que o fim do
analfabetismo tenha sido encarado com tarefa prioritária, central, realizável.
Basta lembrar que o Evo Morales, em criança, quando seus pais trabalhavam como canavieiros
no norte da Argentina, foi considerado inepto para o letramento. Hoje, não apenas ele é o presidente
da Bolívia, como nossos irmãos bolivianos, uma das economias mais pobres da América do Sul,
já estão livres da praga do analfabetismo! Se um país como o Brasil que conseguiu recuperar
a indústria naval, destruída pela privataria tucana, como não poderia superar definitivamente o
analfabetismo? Sobretudo sendo o Brasil a pátria de Anísio Teixeira, Darcy Ribeiro, Paulo Freire? É
porque tem faltado vontade política e Agnelo, com o compromisso que assumiu publicamente, está
demonstrando que é preciso uma nova arrancada política e que Brasília não quer apenas ser a sede
da Abertura da Copa do Mundo em 2014, construindo o estádio, mas também tem que mandar ao
mundo a mensagem de que erradicou o analfabetismo.

O governo Agnelo credencia-se a convocar todas as forças progressistas, não aquelas que o
apoiaram eleitoralmente, para que seja realizado um verdadeiro Mutirão contra o Analfabetismo.
O movimento estudantil, a CUT, o Sindicato dos Professores, as Universidades, todos devem ser
convocados e incorporados nesta luta por meio da realização de uma Conferência Popular contra
o Analfabetismo no DF, na qual sejam planejadas todas as iniciativas possíveis e necessárias,
entre elas a mobilização política, pois derrotar o analfabetismo não é uma tarefa apenas técnica,
é de cunho político e transformador. É preciso discutir e planejar tendo presente experiências do
passado, entre elas a do Rio Grande do Sul, que, quando governado por Leonel Brizola, conseguiu
erradicar praticamente o analfabetismo no início dos anos 60. É preciso organizar acordos com o
governo de Cuba para que seus especialistas possam participar deste Mutirão.

É fundamental que haja a consciência sobre o uso da Rádio Cultura-FM, uma ferramenta que
pode cumprir um papel indispensável nesta empreitada, ao contrário de ser apenas uma caixinha
de música como vinha sendo na triste Era Arruda, quando só as bandas de rock apoiadas por
esquemas milionários da indústria cultural imperial tinham, ao passo que sua direção, naquela
época, discriminava a música popular brasileira, o samba, a música de raiz, inclusive os artistas
negros, numa orientação claramente racista. É um verdadeiro desperdício de recursos não ter a
Rádio Cultura atuando nesta e outras causas da elevação cultural do povo candango. Aliás, vale
lembrar que pedagogos cubanos desenvolveram um método para a alfabetização em dialeto creole
do povo haitiano, por meio das ondas do rádio, a partir de Cuba. A universalização da banda larga
também deve ter como objetivo central, elevação de conteúdos de cunho social e cultural, via
internet e ser um instrumento paralelo no processo de alfabetização. Temos que abrir espaços à
criatividade, ao desenvolvimento de novas experiências, políticas e educativas. E a base para isto é
o compromisso assumido pelo governador Agnelo Queiroz, que indica um compromisso de luta!

01 de julho de 2011


{Acessos: 162}
Recomende essa matéria pelo WhatsApp


Faça seu Comentário



Comentários
Nenhum comentário para esse conteúdo.
EDITORIAL:

Liberdade imediata de Lula para retomar a soberania e o desenvolvimento do país
Diante deste cenário desolador não há outra saída possível e necessária senão a imediata libertação de Lula e eleições diretas. Neste sentido vale reforçar a importância da unidade das esquerdas em torno da candidatura Lula e de um projeto de desenvolvimento nacional.
Receba nossa newsletter

Videos recentes
Suplementos Especiais
Links Recomendados
Matérias recentes
Noticias recentes
Batalhas de Ideias
Comunicação
Ganma Hispan TV Press TV Russia Today TeleSUR
Palavras-chave
J. Posadas - Obras publicadas
Leituras sugeridas
A FUNÇÃO HISTÓRICA DAS INTERNACIONAIS Del Nacionalismo Revolucionario al Socialismo Iran - El proceso permanente de la revolucion Iran - El proceso permanente de la revolucion La musica, El Canto, La Lucha Por el Socialismo
Desenvolvido por Mosaic Web
Recomendar essa matéria: