Home
Videos
Edições impressas
Jornais anteriores
Contato
Sobre nós
Homenagem ao camarada Brian McNeil-Lynam
02 de janeiro de 2016 Notícias
Recomende essa matéria pelo WhatsApp

A IV Internacional Posadista no Reino Unido publica a noticia do falecimento do seu camarada Brian Lynan, conhecido também como Brian McNeil. Brian nasceu em 10 de novembro de 1933 e faleceu em Londres no dia 16 de novembro de 2015 aos 82 anos.

 

Brian morreu naquela segunda-feira com a idade de 82 anos. Foi operário por toda a sua vida adulta e lutador contra a opressão patronal e capitalista, dando coragem a muitos companheiros no Reino Unido e no exterior. Através da sua participação sindical e política, contribuiu à luta pela transformação marxista do movimento Trabalhista, social-democrático e comunista mundial.

 

Aos 16 anos, Brian entrou na aviação britânica. Durante as missões de resgate e salvamentos nas águas da Singapura e da Malásia, aprendeu telecomunicações e morse. Foi aí que aprendeu também da Revolução Chinesa e fez-se Maoísta. Foi sancionado pelo exército e expulso por insubordinação.

 

Ao retornar a Londres em 1956, aderiu ao Paddington Labour Party. Em 1960 transformou-se em mineiro na mina de Gelgiging-Cotgravel(1) em Nottinghamshire. Alí, aderiu ao sindicato NUM(2). Em 1966, Brian encontrou trabalho no ramo da indústria automobilística em Birmingham. Começou na empresa Austin de Longbridge como peão e aderiu ao sindicato AEUW(3). Com equipes de sindicalistas, sustentava que os progressos da automação devem voltar aos operários na forma de melhores salários e menos horas de trabalho. A patronal fichou Brian como “agitador” e terminaram demitindo-o.

 

Brian, que formava parte do Grupo Internacionalista da IV Internacional dedicou-se junto a alguns camaradas de agrupar-se em torno às idéias de J. Posadas, dirigente, naquela época, do Burô Latinoamericano da IV Internacional. Em 1959, J. Posadas havia viajado à Grã Bretanha para encontrar-se com estes companheiros, entre os quais, Brian.

 

Em 1963, J. Posadas fundou a seção britânica da IV Internacional Trotskista-Posadista, com Theo Melville (falecido no ano 2.000) que junto a Brian Lynan foram dois de seus pilares.

 

J. Posadas insistia na preservação dos fundamentos teóricos marxistas essenciais como: 1) a preocupação de medir cada processo nacional ou local no contexto do processo mundial da revolução, 2) o apoio incondicional ao processo de regeneração parcial da União Soviética – regeneração que continuou acontecendo até quase o fim da URSS em 1989 e 3) confiança no futuro socialista da humanidade, confiança em que as massas estão aptas para a construção do socialismo e, confiança em que o socialismo é uma necessidade da vida.

 

Em 1968-69, Brian trabalhou em Luton, Bedfordshire, na empresa Vauxhal de construção de automóveis. Lá, filiou-se ao sindicato NUVB(4) e começou a publicação United Car Worker. A burocracia sindical não gostava deste simples folheto porque defendia princípios da democracia sindical e de controle dos delegados operários; pedia também o direito ao ensino e educação na própria empresa, para eliminar as categorias de operários desqualificados; e pedia capacitar a força operária para poder controlar e dirigir a empresa. Após alguns anos, foi novamente despedido, figurando na “lista negra”. Nesse momento Brian mudou de nome. Passou a chamar-se Brian McNeil, mas mesmo assim continuou sendo demitido de todas as partes.

 

Brian, com sua esposa, Marie Moureau, voltou a Londres e encontrou trabalho na empresa estatal da linha ferroviária. Lá, Brian filiou-se ao sindicato NUR(5) e após alguns anos, foi eleito presidente de NUR (North London District Council). (Vejam a foto acima, onde se encontra ao lado de Jimmy Knapp, secretario geral nacional do NUR). Junto a seus companheiros sindicalistas, Brian lutou por um serviço nacional integrando todos os transportes públicos, à disposição do povo e não para o lucro dos setores privados.

 

Em 1963, a nova seção britânica da IV Internacional Posadista – o Revolutionary Workers Party (T) – começou a publicação do seu jornal Red flag (6). A publicação do Red Flag perdurou 37 anos, até o ano 2000, 9 anos depois da norte de J. Posadas em 1981. Pode-se ler todos os Red Flag no site quatrieme-internationale-posadiste.org, ou no blog posadiststoday.com.

 

Como parte da organização mundial da Internacional – que alcançou até 17 seções –, J. Posadas trabalhou com infinita dedicação à construção da seção britânica. Como operário, Brian via a necessidade de aderir-se à Internacional para contribuir à formação de correntes e tendências revolucionárias em escala mundial e, muito particularmente, no Partido Trabalhista na Grã Bretanha. Tal objetivo persiste nos Posadistas de hoje.

 

Brian contribuiu com todas as suas forças na construção da seção britânica, o RWP(T); participou na maioria das conferências da Internacional, nas reuniões, estudos culturais e escolas de quadros. Na qualidade do quadro dirigente operário da seção britânica da Internacional, dedicou sua vida à atividade de escrever e publicar orientações para o movimento sindical local, regional e nacional; liderou greves, lutas e resistências operárias contra a violência policial, com ideias, programas e objetivos rumo à organização de direções para a transformação socialista da sociedade.

 

Brian participou na batalha tenaz de J. Posadas para estimular o retorno do movimento comunista mundial ao marxismo. Por isso Brian participou em apresentação de livros de J. Posadas em varias feiras de libro em Moscou  e em Havana; viajou também a Cuba por duas vezes como delegado sindical para saudar, estimular e ajudar a luta comunista, anti-imperialista e revolucionária de Cuba.

 

Os posadistas rendem homenagem ao camarada Brian por sua vida dedicada à luta pelo socialismo e pela construção da Internacional Posadista que representa uma contribuição organizativa, teória e política útil à humanidade.

 

No fundo, companheiros que viveram como Brian não morrem nunca. Adiante!

 

“Posadistas hoy”
Janeiro 2016

 

(1) Não se recorda bem o nome dessa mina em Cotgrave.

(2) National Union of Mineworkers.

(3) Sindicato de metalurgicos, cujo nome mudou mais tarde.

(4) National Union of Vehicle Builders.

(5) National Union of Railwayworkers, agora RMT.

(6) Red Flag foi mensal por muitos anos e às vezes semanal.

Recomende essa matéria pelo WhatsApp


Faça seu Comentário
Comentários
Nenhum comentário para esse conteúdo.
'
EDITORIAL:

A vitória de Pirro de Temer no Congresso e as Caravanas de Lula
O Brasil profundo dos trabalhadores, dos homens e mulheres do campo, das regiões interioranas, desce às praças e estradas espontaneamente para abraçar e festejar o seu verdadeiro e único presidente. A todos Lula passa uma mensagem de otimismo e de que é possível retomar o sonho de transformar o país
Receba nossa newsletter
Videos recentes
Suplementos Especiais
Links Recomendados
Matérias recentes
Noticias recentes
Batalhas de Ideias
Comunicação
Ganma Hispan TV Press TV Russia Today TeleSUR
Palavras-chave
J. Posadas - Obras publicadas
Leituras sugeridas
A FUNÇÃO HISTÓRICA DAS INTERNACIONAIS Del Nacionalismo Revolucionario al Socialismo Iran - El proceso permanente de la revolucion Iran - El proceso permanente de la revolucion La musica, El Canto, La Lucha Por el Socialismo
Desenvolvido por Mosaic Web
Recomendar essa matéria: