Home
Videos
Edições impressas
Jornais anteriores
Contato
Sobre nós
Lula cobra saída de Temer e Diretas Já!
23 de maio de 2017 Batalha de Ideias Notícias
Recomende essa matéria pelo WhatsApp

O ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva defendeu, neste sábado (20), que sejam realizadas eleições livres e diretas no Brasil o mais cedo possível, com a pronta saída de Michel Temer do cargo que ocupa hoje.

“O que queremos é eleição direta. Queremos que o Temer saia logo”, afirmou o ex-presidente.

“Nada que fizerem contra mim é mais grave do que estão fazendo contra o povo brasileiro”, defendeu, em referência aos ataques que o governo golpista tem promovido contra os direitos do povo brasileiro.

Lula participou da posse de Luiz Marinho, novo presidente do Diretório Municipal do PT em São Bernardo do Campo, homenageando o companheiro recém-eleito no Processo Eleitoral Direto. O deputado Vicente Cândido esteve presente e pediu apoio à reforma política para avançar o texto no Congresso.

Marinho ressaltou ao presentes que “vivemos momento de grande excepcionalidade”. “Nosso partido, que sofreu uma grande derrota em 2016, mas nossa derrota não é motivo de desanimar nenhum militante. Pelo contrário, é momento de assumir a responsabilidade maior ainda, a responsabilidade de repensar o nosso partido sobre uma nova lógica, a lógica de que o destino da sustentabilidade do nosso partido depende da militância”.

O novo presidente do diretório municipal ainda defendeu que “hoje o governo golpista está caindo pelas panelas porque tiraram uma mulher honesta para colocar uma quadrilha”. “E falam de desmontar conquistas da classe trabalhadora. O modelo para sair da crise não é cortar direito da classe trabalhadora, o modelo para sair da crise é gerar emprego”.

Relembrando um comício de 1979 pela liberdade política, Lula falou sobre a resistência que havia com relação a criação de um partido que fosse dos trabalhadores e tivesse os trabalhadores no nome. “Conseguimos criar um dos maios importantes partidos de esquerda da América Latina, quiçá do mundo”, afirmou o ex-presidente. “Não tem partido similar ao PT. Foi a primeira vez que colocamos o trabalhador como sujeito da história”, acrescentou.

“O partido que em 1980 as pessoas diziam que era bonitinho mas não dava porquê éramos ingênuos e despreparados, passou a ser odiado depois que provou que tinha mais competência política do que todos que governaram antes”, afirmou Lula, acrescentando que “é importante a gente aprender a conviver democraticamente na diversidade. Essa é a novidade que o PT trouxe”.

“Outra coisa é que os partidos de esquerda tradicionais faziam, pegavam estudantes nas universidades e colocavam dentro da fábrica. Nós fizemos o contrário, começamos a pegar peão de dentro da fábrica e colocar na universidade. É uma diferença crucial. Acreditar que o peão tem tanta competência para trabalhar politicamente como qualquer setor da sociedade”, defendeu o ex-presidente.

 

 


{Acessos: 243}
Recomende essa matéria pelo WhatsApp


Faça seu Comentário



Comentários
Nenhum comentário para esse conteúdo.
EDITORIAL:

Eleições na Venezuela e a luta pela liberdade de Lula
Jamais uma revolução social enfrentou tantas eleições, em condições extremas de guerra econômica e ameaças do imperialismo, conspiração interna e sabotagens; mesmo assim teve continuidade com base no voto popular. Aprender as lições da Venezuela; centrar fogo na libertação e eleição de Lula em 2018.
Receba nossa newsletter

Videos recentes
Suplementos Especiais
Links Recomendados
Matérias recentes
Noticias recentes
Batalhas de Ideias
Comunicação
Ganma Hispan TV Press TV Russia Today TeleSUR
Palavras-chave
J. Posadas - Obras publicadas
Leituras sugeridas
A FUNÇÃO HISTÓRICA DAS INTERNACIONAIS Del Nacionalismo Revolucionario al Socialismo Iran - El proceso permanente de la revolucion Iran - El proceso permanente de la revolucion La musica, El Canto, La Lucha Por el Socialismo
Desenvolvido por Mosaic Web
Recomendar essa matéria: